infecção urinária na gravidez

Infecção urinária na gravidez: quais os riscos?

Os episódios de infecção urinária na gravidez são relativamente comuns, pois, durante esse período, o organismo passa por transformações significativas e isso favorece a evolução de bactérias no trato urinário.

No entanto, é fundamental observar o nível de gravidade dessa inflamação, uma vez que, a depender da sua localização no aparelho urinário, os rins podem ser afetados. Portanto é fundamental averiguar determinadas ocorrências.

Para que você tenha uma ideia da seriedade, a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) colocou essa disfunção em 2 categorias distintas: não complicada e complicada.

No primeiro caso estão as mulheres jovens, sem anomalias funcionais ou estruturais do trato urinário e não grávidas. Em contrapartida, na “complicada” estão as grávidas, além das pessoas com diabetes, falência renal, disfunções funcionais e anatômicas, transplante renal entre outras com quadros de vulnerabilidade. Ou seja, é um conjunto que merece atenção, concorda?

Vale ressaltar que, no Brasil, segundo a Febrasgo, a Infecção do Trato Urinário (ITU) está entre os principais motivos de aborto espontâneo. Então, a fim de evitar contratempos, destaco as principais ameaças dessa enfermidade. Quer descobrir quais são elas? Leio o artigo até final!

Infecção urinária na gravidez: conheça os riscos

Parto prematuro

Geralmente, as toxinas liberadas pelas bactérias no trato urinário provocam contrações no útero e isso acaba levando ao parto prematuro. Por isso, normalmente, a recomendação do médico para a gestante é a de repouso. Contudo, ele também pode prescrever medicamentos para evitar o parto, se as contrações permanecerem.

Ruptura precoce da bolsa

Até momento você sabe que a ITU é provocada por bactérias, certo? Porém, agora, insiro uma nova informação. Por exemplo, você sabia que elas também podem contribuir no rompimento do trato amniótico? Pois é!

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Duke University School of Medicine, na Carolina do Norte, nos EUA, sugeriu que as bactérias são as responsáveis por afinar as membranas da bolsa.

Peso abaixo da média

A infecção urinária na gravidez traz uma série de limitações para gestante, pois, mesmo nos quadros moderados, as ameaças são iminentes. E, no que tange ao desenvolvimento do bebê, ela impede a chegada de nutriente até a criança.

Ou seja, ela corre risco de nascer abaixo do pelo e sofrer complicações posteriores como infecções, hipoglicemia, dificuldade de respirar.

Infecção neonatal

Quando o bebê passa pelo canal vaginal da mãe com ITU, as bactérias tendem a contaminá-lo. Nesse caso, antes mesmo de realizar o parto, o médico monitora a criança, a fim de avaliar as ameças de contaminação ou febre. E, a depender dos resultados, o especialista pode sugerir a cesárea.

Infecção materna

Já ouviu falar em Sepse materna? Então saiba que esse é um dos principais motivos de morte de mães. Ou seja, quando a infecção urinária na gravidez não é tratada corretamente, a gestante pode ter sérias complicações depois do parto.

Segurar o xixi por muito tempo, não ingerir água com regularidade, não limpar corretamente a parte íntima, não fazer acompanhamento pré-natal, por exemplo, pode acarretar infecção urinária na gravidez. Então, para garantir uma gestação segura, é imprescindível que a mulher realize certos cuidados e faça exames de rotina.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como urologista em São Carlos!

Powered by Rock Convert

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp