câncer de próstata

Quais são as opções de tratamento para o câncer de próstata?

O câncer de próstata acomete a glândula que se localiza na região abaixo da bexiga masculina e envolve a uretra (canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis). 

Assim como em todos os tipos de câncer, quanto mais rápido se dá o diagnóstico, maiores são as chances de cura total do paciente. Isso faz do diagnóstico precoce fundamental para o tratamento dessa doença.

Fatores de risco e diagnóstico do câncer de próstata

O câncer de próstata não foge do padrão dos outros tipos de câncer no que se refere aos fatores de risco. 

Dentre os fatores de risco mais comuns para o desenvolvimento da doença, podemos destacar os pontos a seguir.

Histórico familiar

A hereditariedade pode ser um fator preponderante para o surgimento dessa doença. Segundo estudos, um paciente cujo pai ou tio tiveram câncer de próstata tem o dobro de risco para desenvolver a doença.

Alimentação

Deve-se evitar ao máximo alimentos que contenham muita gordura, além de carnes vermelhas. Em contrapartida, o consumo de muitos legumes e vegetais em geral é muito recomendado.

Obesidade

Pacientes com sobrepeso ou obesidade têm maior risco para o câncer de próstata. O excesso de gordura no corpo favorece o surgimento de diferentes tipos de tumores malignos. 

Etnia

É provado que a incidência desse tipo de câncer em negros é maior do que em asiáticos e homens brancos. Isso se dá devido à maior concentração de estrogênio em negros.

O diagnóstico o câncer de próstata pode se dar através de vários métodos, que tem maior eficácia de acordo com a idade do paciente.

Por exemplo, em homens acima de 50 anos, pode-se realizar o exame de toque retal e dosagem de uma proteína do sangue (PSA), por meio de exame de sangue. O exame revela a existência do câncer de próstata mesmo sem sintomas. 

Ressalta-se que ambos os exames não atestam o diagnóstico do câncer propriamente dito. Eles apenas embasam a necessidade de uma investigação mais aprofundada e a realização de exames mais complexos e específicos. 

O toque retal também é muito eficaz para detectar outros problemas, além do câncer de próstata. Porém, dependendo da região da próstata submetida ao exame, há a possibilidade do câncer não ser palpável pelo toque retal. A melhor estratégia é realizar os dois exames, já que são complementares.

Já o PSA tende a aumentar de acordo com o avanço da idade. Cerca de 75-80% dos homens com aumento de PSA não têm câncer de próstata, enquanto 20% dos homens com câncer de próstata sintomático apresentam um PSA normal. 

É muito importante frisar que em casos de pacientes considerados de alto risco (com parentes com câncer de próstata) deve-se realizar o primeiro exame aos 40 anos de idade. Também é recomendável realizar exames a cada dois anos para homens com PSA menor do que 2,5 ng/ml. A recomendação do teste é anualmente para os homens cujo nível de PSA é igual a 2,5 ng/ml.

Tratamentos para o tumor

Vários fatores devem ser considerados ao se escolher um tratamento para o combate do câncer de próstata. Idade do paciente, expectativa de vida, quaisquer outras condições graves de saúde, a probabilidade de cura e a expectativa do paciente em relação aos efeitos colaterais de cada tratamento são fatores que devem ser observados.

Dentre os métodos terapẽuticos mais utilizados atualmente podemos destacar (lembrando que há a possibilidade de se adotar dois ou mais deles simultaneamente, caso isso aumente as chances de cura):

  • cirurgia oncológica;
  • radioterapia;
  • terapia hormonal;
  • quimioterapia.

Quer saber mais sobre câncer de próstata? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como urologista em São Carlos!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp